Livros de colorir aliviam o estresse?

Entenda porque a nova moda de pintar desenhos na tentativa de aliviar as tensões virou uma febre mundial e avalie se a prática pode te ajudar
livro para colorir

Foto: iStock / © settaphan

Os livros de colorir viraram febre no mundo inteiro, afinal, a correria e as cobranças (financeiras e pessoais) que enfrentamos atualmente são fatores que contribuem para o surgimento do estresse. Mas será que pintar desenhos realmente ajudam a aliviar as tensões do dia a dia? 

Sim! Mas, apesar do método funcionar com grande parte das pessoas, não é possível afirmar que ele funcione com todo mundo. No entanto, uma coisa é fato: ter um momento dedicado para fazer uma atividade só sua, que lhe dá prazer, ajuda a deixar de lado os problemas e pensamentos negativos, nem que sejam por alguns minutos. 

“Nossa vida se transformou em algo tão digital, que o simples fato de realizar uma atividade manual, não relacionada à tecnologia, pode ser gerador de grande bem-estar. O livro por si só não proporciona nada ao ser humano. Na verdade as pessoas sentem-se convocadas pela proposta do objeto, bem como pelos desenhos, a se debruçarem nesta atividade inebriante e secular que é pintar”, afirma Cristina Fank, terapeuta ocupacional da Mercur. 

É preciso lembrar que uma pessoa estressada pode apresentar níveis elevados de ansiedade, lapsos de memória, dificuldade para tomar decisões e até desenvolver depressão, sem falar na irritabilidade que pode atrapalhar as relações interpessoais, segundo a  International Stress Management Association - Associação Internacional do Controle do Estresse. 

Por isso, um ato simples como parar e colorir um desenho pode ser transformador, uma vez que a experiência ajuda a diminuir o ritmo intenso da vida cotidiana. “O encontro com os velhos conhecidos lápis e papel, pode ser um momento de conforto, que dá a sensação de organização psíquica, calmaria e alívio de tensões, além de trazer outros benefícios, como a melhora da atenção, memória e percepção”, explica Márcia Murillo, pedagoga da Mercur.   

Ainda segundo Márcia, a seleção das cores está sempre relacionada às preferências, gostos e experiências das pessoas. “Mas também existem correntes que defendem a idéia de que as cores possuem energias e simbologias diferentes e que a escolha de determinados tons possa contribuir para áreas do desenvolvimento do ser humano ou revelar algo”, declara. 

Cuidado com os alívios momentâneos! É importante ressaltar que, apesar, desse tipo de expressão artística fazer diferença no alívio da tensão, a atividade não pode ser encarada como uma terapia convencional, que tem como característica ser realizada por um profissional do segmento”, ressalta Cristina.

Por Paula Perdiz 


Comente

Últimas

Copyright © 2019 e-Mídia