Criança obesa adulto obeso - MaisEquilíbrio

Criança obesa, adulto obeso?

Criança obesa adulto obeso

Nunca estivemos tão gordos! O mundo engordou e muito... Hoje, pelo menos 1/3 da população mundial está com o peso acima do considerado ideal e nossas crianças são em parte responsáveis por estaestatística.

Esqueçamos por alguns momentos as cenas que exaustivamente são veiculadas pela mídia impressa e

televisiva dos países africanos onde a população está morrendo de fome e à mingua.

Publicidade

..

Vamos nos deter neste mundo moderno e globalizado.

Há alguns anos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) vem acompanhando com muita atenção este progressivo e assustador dado.

O adulto de hoje foi uma criança obesa no passado?

A maioria dos relatos dos adultos de hoje que se encontram com o peso acima do ideal tem um histórico infantil de sobrepeso.

Não que isto seja de praxe, mas é um fator contundente e verídico.

O padrão de beleza infantil, há cerca de 30 anos, era de uma criança "gordinha", bochechuda, roliça e "rosadinha". A criança que não se enquadrava neste modelo era motivo de grande preocupação.

A maioria das mães não trabalhava fora de casa, portanto ficava sob seus cuidados e supervisão toda alimentação, o que sem sombra de dúvidas era muito mais saudável.

Se a criança estivesse "miúda", magrinha, era necessário utilizar produtos à base de vitaminas e minerais que estimulassem o apetite.

Entretanto, estas mesmas crianças tinham muitas atividades, brincadeiras nas ruas. Os tempo eram outros... A violência urbana era algo distante e muito pouco provável.

As crianças tinham uma vida bem mais livre e saudável; gastavam suas energias brincando de queimada, pega-pega, taco, futebol, pula corda, pula cela, amarelinha...Bons tempos! Sou desta época...Comer sanduíche, tomar refrigerante apenas em ocasiões muito especiais. Salgadinho com jeito de isopor? Nem sonhávamos...

Hoje, com toda tecnologia e modernidade, nossas crianças são "experts" em computadores, jogos eletrônicos, controles remotos e pela comodidade e praticidade muitos saquinhos de salgadinhos...Com isto, mais ingestão de calorias e menor gasto calórico.

Portanto mais crianças gordinhas e menos ativas...

Taxas de colesterol, triglicérides, pressão arterial alta, reumatismo não são problemas do mundo adulto de hoje. Infelizmente...

A criança obesa de hoje será o adulto obeso de amanhã? Provavelmente sim, com a diferença básica de que os adultos de hoje foram na sua infância bem mais crianças; bem mais felizes...

Mas isto pode e deve ser mudado. Cabe a cada um de nós preservar o que sempre foi "moda": uma alimentação saudável, equilibrada, rica em proteínas, vitaminas, sais minerais e nunca se esquecer de uma boa dose de carinho, afeto, amor e compreensão.

A criança obesa de hoje é a mesma criança de anos atrás: apenas uma criança que precisa ser alertada, educada e instruída sobre as dificuldades e transtornos que implicam em estar com o peso acima do ideal.

Somos responsáveis sim e com um pouco de paciência e tolerância o futuro do mundo não será tão "pesado".

Por:
Sonia Cristina Camargo Bessa
Formada em Psicologia pela FMU, atua há 13 anos na área de Clínica do Emagrecimento. Especialista em Terapia Reichiana (Bioenergética e Linguagem Corporal)

Comentários

comentar comentar
agressividade alimentação regular alimento auto estima beleza café chakras compulsão alimentar consciência câncer decisões desonestidade diabetes dia das mães disciplina disturbios alimentares etiqueta genética gula imagem lixo massagem mudança comportamental ousadia postura praticar exercícios raiva recaída reeducação alimentar risco serotonina sistema nervoso tensão viajar vida vítima
MaisEquilíbrio
Parceiro Cyberdiet - ONG Aldeias Infantis SOS Brasil
Cyberdiet é parceiro da ONG Aldeias Infantis SOS Brasil, que já atende mais de 10.000 crianças brasileiras que necessitam de um lar e de uma família. Saiba mais
Copyright © 2014 e-Mídia Sobre MaisEquilibrio.com.br | Sobre e-Mídia | Precisa de ajuda? | Anuncie conosco | Trabalhe Conosco

ATENÇÃO!

As informações oferecidas por este site não são individualizadas, portanto não substituem o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física. Veja informações adicionais em nossos termos de uso e política de privacidade.